terça-feira, 1 de maio de 2007

Puro agito

Well, como eu não tenho tido tempo pra escrever pro blog, tive que fazer uma redação pra faculdade sobre "a rua onde moro" e estou postando ela aqui, porque, realmente, a rua onde moro é bastante interessante. Quem quiser ler, não se empolgue achando que é muita coisa e quem não quiser ler, não perde muita coisa.
E por favor, quem tiver saco de ler, também tem saco de postar um comentário mesmo que seja só com "li".
Obrigada.
Puro Agito
"A rua onde moro tem muitas histórias pra contar. Antes de tudo, ela proporciona a todos os moradores e visitantes de Rio Grande, o imenso prazer e alegria de sairem da cidade. Se estende do porto, até a cidade de Santa Maria.
Em seu histórico incluem-se protestos, acidentes, mortes, todo o movimento do porto de Rio Grande. Uma parte da economia do país passa por aqui.
Celebridades nacionais, ministros, presidente e outras autoridades do Brasil, e até um grande ídolo do Punk Rock mundial, já passaram pela frente de minha casa. Também já presenciei o transporte de algumas peças gigantescas que não faço a mínima idéia pra quê servem, e outras missões que exigem toda uma segurança em torno.
A vida pedetre é de fluxo pequeno. Vizinhos próximos, festas, eventos comunitários, não são o ponto forte. Para mim, esse fator de viver longe da vida comunitária não é ruim. Considero bem mais divertido contar que muitos dos meus ídolos "quase" pararam para um cafezinho em minha casa, do que minha rua ser palco de quermesses para igrejas e pastores encherem o bolso de dinheiro e mobilharem suas casas.
Tenho vários "vizinhos ", moradores da mesma rua, que nunca verei na minha vida. Tantas vidas já passaram por aqui, quantas vidas arrancadas aqui; quantos grãos de soja perdidos ao longo de minha rua...
Oh sim, importante dizer, que na esquina da minha casa (assim como há de ser em inúmeros trechos de minha rua) existe um buraco mal tapado que é o causador de centenas de terremotos por dia, a cada caminhão que passa "voando" nesta rua.
Parte do meu endereço é o mesmo de uma penitenciária, de vários restaurantes, rodoviárias, postos de polícia, ventas, botecos e todos os tipos de estabelecimentos que possam existir nesta BR 392.
Se não fosse ter que sair sempre cinco minutos adiantada, para ter tempo de atravessar a rua, se não fossem tantos buracos, se não fossem tantos caminhoneiros correndo no acostamento e empurrando poeira em nossas caras e se não morressem tantos cachorros nela, a rua onde moro seria praticamente perfeita."
Recém saída do forno.

4 comentários:

William disse...

li

Felipe Ramone disse...

uau, q ótimo...


=)

joy77 disse...

Li.
E nem sei como achei esse blog.
=S
Mas li.

Bruno Wally disse...

Não gostei!!!
Esqueceu de falar da "placa de preferencial" e dos teus desejos com ela, também influenciados pela minha pessoa, longe de algum duplo sentido, é claro! Huahuahuaha
Sério... achei legal o esquema!

Lendo dá até vontade de morar aí, longe do cheirinho agradável da Trevo! Era isso!