domingo, 25 de novembro de 2007

Adaptações

No dia 13 de maio de 1888, no Brasil, a princesa Isabel assinou o documento que previa aos escravos a liberdade para serem pobres.Pobres em qualquer lugar, localidade, cidade.
Liberdade.
Mas nossa bela princesa não era, como nos ingênuos livros de literaturs, pura.Ela não assinou aquele papel por consciência, ideal ou igualdade., não não.
O fato é que a princesa se encantou por um negão alto, forte, com as feições de Will Smith. E ele, com aquele idealismo romântico de filmes de cinema, disse que só a amaria com a liberdade de poder amá-la, o que não passave de uma simples emboscada para a princesa o tornar livre e ele fugir saltitante a praticar atos sexuias com várias moças que adorariam dar para ele.
Tomada de libido e etanol, a princesa logo usou seu prestígio de filha mimada e convenceu o pai que concedesse liberdade aos escravos. Depois de perceber o que seu amado fizera, ela foi vista estuprando um debilóide, que foi o único da história que se deu bem, pois a princesa morreu semanas depois com sífilis generalizada, seu pai e os demais senhoris se foderam ao perderem seus empregados aos quais pagava, com o resto do que foi dado aos porcos de jantar. Logo, esses "grandes homens" encontraran a quem estorquir trabalho fácil: os iludidos imigrantes, que sonhavam com uma vida alegre e regada a vinho, mas que acreditavam que o trabalho árduo os levariam a isto.
Por fim, os negros tiveram ao menos a escolha de onde queriam mendigar, pois não seria um papel assinado por uma patricinha vagabunda que iria transformá-los em cidadõas vistos com igualdade por mentes acostumadas ao preconceito.
Alguns ainda lutam para provar que são tão capazes quanto qualquer ser humano, mas outros ainda esperam sentados as migalhas que os "excelentíssimos" políticos os prometem.

1. Citei Will Smith porque é o único negro que eu pegaria. Não por preconceito, mas por meu apetite sexual pedir por loiros de olhos azuis (ou verdes =P).
2. Não, não sou racista, mas desprezo o orgulho racial. Somos todos iguais e ponto. Desprezo também pessoas que sae acomodam num problema social para justificar sua falta de vontade de progredir.




Escrevi isto no celular, quando eu estava na cama, com 38,5º de febre e dor de garganta, ontem =)

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Balanço precoce.

Uau, esse blog está às moscas. Não, nem as moscas visitam mais ele, hehehehe...
Na verdade, não tenho mais muita coisa o que dizer e nenhum texto que possa ser considerando interessante para alguém.
Sabe, tá chegando as férias, o fim do ano, correria. E nada é certo na minha vida.
Não suporto mais minha mãe reclamando de tudo afundada no sofá, mas não tenho mais como dizer isso para ela, não quero magoar ela e já disse de tudo pra que ela melhore e ela se nega a me ouvir. Um saco, se passaram já dois anos e ela ainda odeia mortalmente meu pai. Não é só ódio, eu sei, sinto que ela está mal porque ele se levantou da queda, está feliz agora, e ela continua na mesma, parece que foi ontem que se separaram. Achei que com isso ela ia amadurecer mais, ser mais "mulher", masi confiante, mas isso não aconteceu, e ficou pior, porque ela vê todo mundo dando um jeito na vida e ela sentada no sofá vendo novela das 14h. Desconta em mim, me empurra pra vida que ela queria ter mas não teve, me cobra coisas bestas e tudo o mais. É incrível, num momento estamos abraçadas contando confidências, e no outro ela está me xingando e pensando que eu ainda tenho 12 anos. Eu me canso com isso, eu não sei o que pensar.
Minhas ex amigas, bom, elas são ex amigas mesmo, o que me incomoda é o fato delas não levarem isso muito bem, esquecerem que eu existo, porque eu não existo mais. Eu não sou mais quem elas conheceram e elas, de longe, não são mais as gurias que eu conheci. Aliás, parece que regrediram, com piadinhas sem graça pela rua e ao lado de dois bebezões que não sabem nada o que é e o que querem da vida, e nem pensam em discutir sobre isso.
Meu pai, tá lá, o de sempre. Neutro, morno, não muito preocupado com a minha existência, mas querendo se mostrar dedicado, essas coisas.
Acho que ganhei um amigo, o meu irmão. Não temos muitas afinidades de pensamento e etc, mas temos nos dado bem na relação familiar.
Meu relacionamento amoroso, não sei o que esperar dele. É irritante, somos tão parecidos que eu não consigo ficar irritada com as dúvidas e problemas dele porque eu tenho os mesmos. Mas eu queria algo pra chamar de meu, entende? É, devem entender. É complicado.
A faculdade, tá lá também, chegando as duas últimas semanas, a correria pra conseguir passar nas disciplinas semestrais que eu relaxei agora. Continuo sem perspectiva de que esse diploma vá acrescentar alguma coisa na minha vida, mas estamos aí. Não é muito difícil de passar de ano.
Não consegui emprego temporário pro fim de ano, mas também não me empenhei muito pra conseguir um. Não me empenho em nada, na verdade. Estou a seis meses indo na psicóloga e a única melhora que vejo é conseguir dormir sozinha oO.
O que esperar das festas de fim de ano? Talvez eu esteja feliz ao lado do guri que estou gostando, mas provavelmente estarei com uma parte de mim triste e irritada por minha mãe, provavelmente passar o fim de ano sozinha.
O que esperar do verão? Ah, dane-se.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Opa!

Sabe aquelas épocas, ou fases, que você quer fazer coisas, mas não tem saco pra fazer? Não que seja uma coisa ruim, mas você simplesmente não tem paciência?

Pois é...



Lost Pilgrim - Bad Religion
Peregrino Perdido
Peregrino, tuas lágrimas são secas e amargas,
e teus olhos aparentam ser mais velhos que a tua idade.
Peregrino, você bebeu mercúrio?
Teus lábios ficaram azuis e você está se esforçando pra enxergar.
Você veio de tão longe para continuar,
agora sua vida enguiçou.
Ao passo que você marcha adiante você não vai a lugar algum.
Peregrino, quando você abandonou a todos
a solidão destruiu a tua mente talentosa.
Peregrino, você ve a escrita na porta?
Ela está levando você a um lugar que você nunca esteve.
E o próximo em linha mede os teus passos, esperando pela tua queda,
com uma esperança que se encontra numa chamada secreta do senhor.
Olhos devotos ignorando os transeuntes,
precipitado nas suas covas.
Não se desespere com este mundo de trabalho duro e preocupação.
Este peregrino se perdeu.
Peregrino, será que você vai encontrar o teu chamado?
A verdade é tão pura que você vai arriscar tudo?
Olhos devotos ignorando os transeuntes,
precipitado nas suas covas.
Não se desespere com este mundo de trabalho duro e preocupação.
Este peregrino se perdeu.