quinta-feira, 25 de novembro de 2010

É sobre os tiros

Carambolas.
Ontem começou no noticiário uma chuva de informações assustadoras. A guerra civil no Rio de Janeiro. Pessoal, me desculpem as próximas palavras que serão escritas/lidas. Eu sei que uma análise e discussão mais profunda e racional é o cabível, mas eu preciso expressar minha revolta como cidadã:
Carambolas! Não tem como senta-lhe o tiro nesses marginais malditos que tocam o terror e matam e destroem qualquer um que vêem pela frente? Já nao interessa mais se eles são vítimas da sociedade, se muitos nem são tão culpados; é uma guerra que eles iniciaram entre si, e por vontade própria estão disseminando para o resto da população. Meu irmão usa essas expressões para os ricos, mas eu preciso usá-las em relação a esses criminosos: tem que dá-lhe pau! Bate e depois pergunta. Tchê, tu sabe queo s caras arrancam o direito à vida de dezenas por semana, e agora arrancam o direito à liberdade de todos os moradores da região metropolitana do Rio e assusta todo o povo brasileiro.
Faltou assistência? Faltou. Faltou educação? Faltou. Mas nada, NADA é capaz de justificar a podridão que esses caras espalham pelas cidades e estados do nosso país. Eles merecem um fim dos piores possível. Desculpem-me os defensores dos direitos humanos, mas não se vê mais direitos nessa guerra. Não quer matar, prende achando que a criatura vai melhorar. Melhora? NÃO! E ainda mantém uma corja de babacas aqui fora fornecendo e cumprindo o que eles querem, como vemos todos os dias na mídia.
Eles estão matando e assustando. Eles não merecem piedade. Pode ser culpa do sistema, mas se ainda se tem esperança de mudar o sistema, não dá pra conviver com pessoas pervertidas pelo sistema, incentivadas pelo status que o sistema imprimiu a elas. Esses marginais não são apenas marginais, à margem da lei, estes são CRIMINOSOS dos mais cruéis e menos dignos, que não sabem o que é uma vida humana. E reforço: não interessa se a culpa é do sistema, as pessoas dignas não se corrompem. Ah, ok, tu podes dizer que me corrompi ao apoiar a violência contra os geradores da mesma. Pode ser, mas eu ainda defendo o direito das pessoas viverem REPEITANDO o outro.
Ah quer saber, dane-se se você que me achar uma "ditadora maluca". Estou com raiva, RAIVA, somos animais humanos, e quero mesmo é que esses criminosos morram e levem junto pra tumba suas bocas de fumo e quem mais que tiver de ir com eles, se compactuam diretamente com essa barbárie.

Um comentário:

Leonardo disse...

Foi triste ver um verdadeiro formigueiro de bandidos fugindo pelo mato de uma favela pra outra armados de fuzis. Era muita gente. É um exército de marginais. Lamentável.