sábado, 16 de junho de 2007

O mundo de cada um.

Bad Religion - Live Again




The road is narrow, the horizon wide
And to say what's waiting on the other side
Is so rewarding and the ultimate prize
But what good is something if you can't have it until
you die?
Desperate, tenacious, clinging like a grain of sand
Watching its foundation wash away (wash away)
Drunk with the assertions they know they can't defend
Confident that they might...live again
Live again, live again
Would you give it all up to live again?
Live again, live again
Would you give it all up to live again?
Temptation? Revelation? You decide
Torture shows its colors often in disguise
Progress and purpose help us realize
We pass along a brighter faith even though it must be
blind






Bah, mas como tem gente que não se liga! Totalmente sem noção. Tchê, se eu sou chata, me deixem em paz! Se tão nem aí pra mim, me esqueçam! Que insistância chata em "mudar" as pessoas, em acreditar que são suuuper gente boa, que todo mundo te adora.
Caramba, quando eu acho que tô conseguindo administrar a vida, aparece um mongolóide que vive uma esquisofrenia desapercebido. Auto-estima é bom, mas um pouco de "semancol" é essencial. Ninguém a absolutamente "demais", ou acima de qualquer crítica.
Um dia é a decepção de uma esperança no fim. Quando se refere às pessoas, não tenham esperança: elas nunca mudam suas visões, e as que são afundadas numa vida de problemas mal-engolidos, elas nunca vão perceber que seu mundo é de papel e que há muito mais coisas a se buscar.
Eu vi que meu mundo era de papel. É difícil construir um alicerce seguro, mas já é um enorme passo saber que é preciso ter um. Eu estou nessa fase. Estou procurando a liga perfeita pro cimento da minha vida. Pode ser difícil de encontrar, e está sendo, mas não posso mais deixar o medo me dominar, o medo de morrer, o medo de viver. É difícil, muitas vezes por dia, tem que se respirar muito fundo e beber um pouco de "esperança" (mesmo que seja difícil de achar uma dose).
Mas mesmo assim, me confundo muito, mesmo sabendo que procuro um caminho o mais seguro possível, porque vejo 90% das pessoas na minha volta vivendo em imaginação, em escalas microscópicas, e muitas delas nem entendem ou não admitem, que existe muito mais coisas a se preocupar, a se viver. Isso me faz pensar: será mesmo que é melhor achar um caminho? Será que é melhor manter meus princípios e apenas me adaptar? A maioria das pessoas que vejo, vivem cegadas por esse mundo falso empurrados pra nós todos os dias, em todas a gerações, mas me parecem felizes. Enquanto isso, eu fico aqui, apanhando pra "me adaptar" e contiunar sendo "boa, nobre e enxergando com nitidez".
Não sei o que é melhor, mas não quero viver alienada nesse mundo de papel, que qualquer neblina o fragiliza, e ainda assim, acreditamos que ele vai continuar de pé, enquanto por dentro, apagamos nossos sentimentos e consciência.



2 comentários:

Felipe Ramone disse...

pois é, as pessoas se acham superiores umas às outras pq tem medo de mostrar suas fragilidades e que seus alicerces são de papel. Esperança é uma palavra chata e que persegue aos que procuram ser feliz..

Minha Tamagoshi é o meu espelho feminino e meu orgulho!

XD

joy-ce disse...

Sei como s�o essas pessoas que insistem em mudar a opini�o e o jeito das pessoas, eu mesmo j� fui uma assim, mas eu aprendi que ningu�m � obrigado a gostar de ningu�m, e cada um tem um jeito, ent�o... que se dane. (:

� aquela coisa, n� ou voc� aprende a viver ou a vida te ensina, muitas vezes do jeito dela (o que n�o � muito bom)

Aaah, e eu gosto de Bad Religion, tamb�m. (: