quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

"You were just a waste of sperm"

"You were just a waste of sperm"
Essa é a primeira frase que me vem à cabeça quando vejo algum ignorante (em todos os sentidos da palavra) dando uma de bom, em algum aspecto que por si só já é desprezivel. Principalmente quando é na internet. Mas eu já nem me "enraiveço" mais (em alguns casos, sim), quando me deparo com alguma mané mal educado e sem um vocabulário mais robusto que "vai se 'fudê', seu pau no c*, filho da p***", e a frase mais dita virtualmente por esses grotescos: "me procura ao vivo 'pa nóis vê' quem é o bom".
Ai ai...
Tem momentos que nem dá mais pra tentar colocar algum vestígio de capacidade verbal nas criaturas, e aí me vem o "you were just a waste of sperm", do Slayer, banda que eu nem conheço, não gosto, mas essa frase define tão bem grande parte da população mundial. E nem digo no sentido "descontrole populacional", que tenho a mais absoluta certeza que aquelas crianças que tem uns 25 irmãos na África, se tivesse o nível de instrução que uma "criatura", como as que estou descrevendo, teve acesso, teria muito mais utilidade na vida social da humanidade. Mas, grande parte da população se torna um desperdício de esperma quando não sabem argumentar com idéias sensatas, não conseguem distinguir uma "discussão" de uma luta-libre na rua.
Eu ainda não compreendo se essas pessoas realmente são sem noção, e partem pro "me procura na rua 'pa tu vê" por puro desvio mental, ou se lá no fundo elas têm consciência que se foram abrir a "boca" para tentar um diálogo, vão acabar falhando mesmo, e tendo que apelar pro "porrada resolve", então se torna uma questão de antecipar a derrota.
Lamento ter de usar o termo "derrota", até porque quando ele é usado contra mim ante a discussões, argumento que em um diálogo, se propõe uma construção de conhecimento, e não uma luta entre eles, mas, tem casos... tem casos que é inevitável usar este termo. Admito, não sei se é minha raiva e aversão ante a esse tipo de pessoa que me faz empregar esse termo, mas, pense comigo: se uma pessoa que coloca as coisas sempre nesse nível, no "te pego na hora da saída", acaba se tornando inevitavelmente um derrotado. E o pior, um derrotado antes de tentar, um derrotado intelectual, e derrotado perante à sociedade. Porque as pessoas não dão ouvidos a quem pensa em resolver tudo na agressão física.
A parte "racional" da sociedade condena ataques terroristas e guerras, e as pessoas que podem fazer alguma coisa lógica e efetiva, são aquelas que sabem dialogar, se não, todos nós nos mataremos diante de uma adversidade.
"Maybe it's too late for an intellectual debate". É outra frase que lembro nessas ocasiões. Mas, se já é tarde para o diálogo, é tarde para salvar o mundo, salvar a humanidade e todo o resto que não é só resto, é o mundo. Uma bomba atômica não destrói só seres humanos. Nem as coitadas bactérias têm chances de sobreviver diante o poder da brutalidade que a não-aceitação pode causar a tudo.
Eu penso às vezes, se as pessoas não conseguem ser tolerantes, não conseguem respeitar as diferenças, as concepções dos outros (muitas não conseguem aceitar o evidente, mas se me aprofundasse nessa vertente, acabaria me tornando tambem intolerante ante a algumas decisões humanas), se as pessoas não conseguem deixar de se acharem mais, de menosprezarem cada pedacinho do outro, o que nos resta?
Não sei, tem coisas que são difíceis de expressar verbalmente, mas meu medo se transforma em raiva, certas vezes, e minha raiva acaba me tornando como esses ignorantes, que catam qualquer motivo banal para humilhar os outros.
Quem sabe esse texto seja uma tranparência desses momentos em que torno intolerante e repugnante com as pessoas e as atitudes que condeno. "Quem sabe", não. Esse é um texto que tento expressar a inferioridade de pessoas que sinto aversão, mas também pode ser levado como uma tentativa de tornar algumas pessoas mais humanas do que elas acham que são.

2 comentários:

Leonardo disse...

Perfeito. Assino embaixo de cada frase. Parabéns.

Kaio Cezar disse...

Isso me faz lembrar de uns comedores* virtuais fodões por aí... :S

*super metedores incansáveis machos pra caralhos, na net.